LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE

LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE
LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNET, DE IBICARAÍ PARA O MUNDO - AVENIDA SÃO VICENTE DE PAULA

CONHEÇA NOSSO SITE E OS NOSSOS SERVIÇOS AGORA, CLICK NA IMAGEM E VEJA.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

VISITE A MULTESCRITA SOLUÇÕES EM CONTABILIDADE RUA 2 JULHO Nº 35 - 1º ANDAR

24 de maio de 2016

TCM formula representação ao MP contra prefeito de Itamaraju.


O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta terça-feira (24/05), votou pela procedência de dois termos de ocorrência lavrados contra o prefeito de Itamaraju, Manoel Pedro Rodrigues Soares, que apontaram irregularidades em procedimentos licitatórios realizados no exercício de 2014. O relator dos processos, conselheiro José Alfredo Dias, solicitou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o gestor, determinou a restituição aos cofres municipais do montante de R$171.600,00, com recurso pessoais, e aplicou duas multa no valor total de R$10 mil.
O primeiro processo tratou de irregularidades em processos de contratação direta de empresa M. J. Rodrigues Marques Imobiliária – ME, por inexigibilidade de licitação, para prestar serviços de assessoria e consultoria na avaliação de imóveis urbanos e rurais, ao custo de R$88.000,00. A relatoria considerou inadequada a utilização da inexigibilidade, vez que ausentes no objeto do contrato os requisitos da singularidade e notória especialização. A contratação deveria ter sido seja realizada pelas vias ordinárias, com observância do regular processo licitatório.
O outro processo apresentou irregularidades no procedimento licitatório realizado na modalidade Tomada de Preço, com vistas à contratação de empresa Consult.com Ltda. – ME para prestar serviços técnicos especializados de levantamento de dados de rotina administrativa, no valor de R$83.600,00. O relator apurou que não foi dada a devida divulgação à licitação, deixando o gestor de publicar o aviso em jornal de grande circulação e em Diário Oficial do Estado, o que restringiu a participação de empresas interessadas. Também não foi apresentada a justificativa do preço e da compatibilidade com os valores praticados no mercado, bem como qualquer documento que comprovasse a efetiva prestação dos serviços.

Cabe recurso da decisão.
Fonte; TCM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, mas lembre-se que este blog é acessado por famílias, mulheres, e pessoas de bem.