LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE

LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE
LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNET, DE IBICARAÍ PARA O MUNDO - AVENIDA SÃO VICENTE DE PAULA

CONHEÇA NOSSO SITE E OS NOSSOS SERVIÇOS AGORA, CLICK NA IMAGEM E VEJA.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

VISITE A MULTESCRITA SOLUÇÕES EM CONTABILIDADE RUA 2 JULHO Nº 35 - 1º ANDAR

23 de junho de 2016

Quem está falando a verdade?


Depois da repercussão negativa, que gerou o aumento de salários de vereadores, prefeito, vice e secretários. Aprovado na seção da segunda feira dia 20.
Muitas afirmações vieram à tona, como que todos os vereadores haviam assinado, concordando com o aumento, na primeira votação, realizada na seção do dia 13, depois de um apagão, que acabou impedindo a seção de acontecer no horário habitual, 18 hs, sendo realizada já as 20 horas, após o retorno da energia, bem como o aparecimento da chave.
Na referida seção do dia 20, os vereadores Pastor Erasmo, Baby Oliveira e Adriana Assis, votaram contra o aumento.
Vale lembrar que; Babby Oliveira e Pastor Erasmos, estes sim, estiveram na seção do dia 13, aprovando em primeira votação, os aumentos.
Segundo a vereadora Adriana Assis, ela não pode se fazer presente na seção do dia 13, por estar fazendo uma prova na faculdade, não participando assim da aprovação.
Os vereadores Pastor Erasmo e Baby Oliveira, mudaram seus votos, sendo contrários ao aumento, na seção do dia 20. Se juntando a Adriana Assis, fazendo um placar de 7 a 3 a favor do aumento.
Uma outra informação surgiu nas redes sociais, com uma foto da ata, contendo a assinatura da vereadora Adriana Assis, que seria assim, uma contradição, ao que ela disse em entrevista na Terça feira, ao jornalista Ailton Scher, no programa Conexão Notícias, pela Cacau FM.
A vereadora veio à público, pelas redes sociais, para esclarecer os fatos. Segundo a mesma, ela realmente faltou à seção do dia 13, por estar realizando prova na faculdade, mas, teve que assinar a “ata” da referida reunião do dia 13, onde o aumento foi aprovado em primeira votação, mas, não concordando com o mesmo, sendo de praxe, as assinaturas recolhidas na seção do dia 20, se destinam somente a aprovação da “ata” lida, referente a seção anterior.
Os fatos ocorridos na seção do dia 13, foram aprovados apenas, pelos vereadores que se fizeram presentes na mesma. Portanto, não teriam influência as assinaturas recolhidas na seção do dia 20, pois as mesmas fazem menção, apenas, a aprovação da “ata” ora lida.
Confiram o texto da vereadora, esclarecendo os fatos.

ATA DA SEÇÃO DO DIA 13, ASSINADA PELOS VEREADORES, NA SEÇÃO DO DIA 20.


A vereadora Adriana Assis publicou a seguinte mensagem no Facebook de Karen Céo. Ela se refere à foto publicada no Grupo de um documento com 11 assinaturas que diz que o projeto de reajuste do subsídio dos políticos foi aprovado por unanimidade. Ela esclarece que se trata da ata da sessão anterior, do dia 13, e não à da sessão desta segunda-feira, dia 20.
Adriana Assis:

"Karen Ceo, tentei responder a uma postagem no grupo Ibicaraí, porém não pertenço ao grupo e não abriu a aba para q comentasse. A postagem se refere a ata assinada ontem, importante esclarecer aos desavisados ou tendenciosos a distorções, que a cada sessão posterior se vota ata que registra o q ocorreu na sessão anterior. Uma vez não tendo o que questionar na ata ou corrigir o que ali se encontra registrado, a mesma vai para votação e foi isso q ocorreu. Nela estavam contidos os fatos ocorridos na sessão do dia 13.06, a qual por questões pessoais me ausentei, tive que fazer uma prova na faculdade e não pude transferir. Como faltou energia achei inclusive q nem sessão tivesse, mas teve, isso é fato e os projetos foram colocados pra votação sem serem discutidos, deixando-se discussão para 2 votação que ocorreu ontem. Bom seria ser digno a publicar a ata na íntegra, ai sim estaria se valendo da verdade dos fatos, mas não o fazem pois existe o interesse escuso de distorcer as coisas, porém nada melhor do que ter a consciência tranquila. Outra situação trata-se do veto do prefeito; a propositura é revestida de algumas prerrogativas e peculiaridades legais que o impede de fazer algo, portanto o que tinha ser feito era ontem ou o Legislativo revogar o Projeto voltando atrás e apresentando outra propositura a qual por Lei Constitucional, inclusive é prerrogativa do exclusiva do Legislativo faze-lo. Deste modo espero ter contribuído para os devidos e corretos esclarecimentos. Até admito q falem ou contraditem meus atos ou de quaisquer pessoa, mas jamais se valendo de mentiras ou distorções que favoreçam o bel prazer das ditas conveniências. Bjs de luz," Adriana Assis 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, mas lembre-se que este blog é acessado por famílias, mulheres, e pessoas de bem.