LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE

LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE
LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNET, DE IBICARAÍ PARA O MUNDO - AVENIDA SÃO VICENTE DE PAULA

CONHEÇA NOSSO SITE E OS NOSSOS SERVIÇOS AGORA, CLICK NA IMAGEM E VEJA.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

VISITE A MULTESCRITA SOLUÇÕES EM CONTABILIDADE RUA 2 JULHO Nº 35 - 1º ANDAR

30 de junho de 2015

Pastor e padre lavam pés de transexual “crucificada” na Parada Gay.


Viviany teve seus pés lavados, secados e beijados pelos religiosos;
O padre Julio Lancellotti e o pastor evangélico José Barbosa Junior lavaram os pés da transexual Viviany Beleboni, a mesma que se crucificou seminua na Parada Gay de São Paulo.
O ato aconteceu no Largo do Arouche, em São Paulo, neste sábado (27) durante a “Caminhada em Memória a Laura Vermont e todas as vítimas de transfobia”, evento que atraiu dezenas de pessoas.
O pastor explicou que resolveu apoiar a luta do padre Lancelotti em defesa da transexual que foi bastante criticada por sua performance no evento que aconteceu no dia 7 de junho.
“Fizemos isso como um ato de desagravo, pedido de perdão pelas muitas crucificações que as pessoas LGBT sofrem no Brasil e como atitude de serviço, porque entendemos que os cristãos devem servir aos oprimidos, excluídos e aos que sofrem toda sorte de preconceitos”, escreveu o pastor no Facebook.
Foi também pela rede social que o padre se manifestou dizendo que o Papa Francisco já se encontrou com uma transexual espanhola que foi chamada de “filho do diabo” por um padre local. O líder católico teria dito a ela: “Deus te aceita como é”.
Ao site Ego, Viviany relatou que recebeu as desculpas dos dois religiosos que lavaram, secaram e beijaram seus pés. “Os dois religiosos me pediram desculpas e disseram que as pessoas maldosas que estão me perseguindo não os representavam. Eles lavaram, secaram, beijaram meus pés e me pediram desculpas. Me emocionei”.

Sua participação na caminhada foi uma das raras vezes que ela saiu de casa, por conta do vilipendio e das críticas recebidas, a transex está com medo de ser agredida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, mas lembre-se que este blog é acessado por famílias, mulheres, e pessoas de bem.