LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE

LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE
LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNET, DE IBICARAÍ PARA O MUNDO - AVENIDA SÃO VICENTE DE PAULA

CONHEÇA NOSSO SITE E OS NOSSOS SERVIÇOS AGORA, CLICK NA IMAGEM E VEJA.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

VISITE A MULTESCRITA SOLUÇÕES EM CONTABILIDADE RUA 2 JULHO Nº 35 - 1º ANDAR

24 de fevereiro de 2015

Empreiteiro diz que esquema de corrupção na Petrobras financiou campanhas políticas na Bahia, segundo revista Veja.


Além de petistas, Jutahy também recebeu doações legais da UTC
A edição deste final de semana da revista Veja traz informações sobre supostas declarações do engenheiro baiano Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, preso há três meses na Polícia Federal pela Operação Lava Jato. Segundo a revista, Ricardo Pessoa quer contar à Justiça que 30 milhões de reais foram desviados da Petrobras para campanhas de políticos do Partido dos Trabalhadores. Se fizer revelações importantes à Justiça em um depoimento formal, o empreiteiro pode receber benefícios, como redução de pena, a chamada 'delação premiada".

Amigo pessoal de Lula, Pessoa disse, segundo a reportagem, que o esquema de corrupção era do conhecimento do então presidente da Petrobras, o baiano Sérgio Gabrielli, e desde 2006 financiou campanhas de petistas da Bahia, como a de Jaques Wagner, em 2006 e em 2010, e a de Rui Costa, em 2014. "O Ricardo pode destruir o Wagner", diz um auxiliar do empreiteiro. A revista não mencionou financiamento para outros cargos, como a de prefeitos baianos petistas em 2008 e 2012.
De acordo com a reportagem, as declarações do engenheiro não são formais e foram dadas a "interlocutores". A revista também lembra que não há provas de que as revelações sejam verdadeiras, mas destaca que a possibilidade de que o engenheiro faça um depoimento formal à Justiça foi o que teria levado o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, a se reunir com advogados dos empreiteiros presos, causando uma crise no governo.
No fim de janeiro, advogados do empreiteiro Ricardo Pessoa mostraram interesse em arrolar como testemunhas de sua defesa dois baianos: o ministro Jaques Wagner e o deputado Jutahy Magalhães, do PSDB, que também recebeu uma doação de 300 mil reais em 2014 da construtora UTC. [O deputado federal Jutahy Magalhães é parceiro político do deputado estadual Augusto Castro e do ex-candidato a vice prefeito de Ibicaraí Lula Brandão.] Outro baiano que teve campanha irrigada pela UTC em 2014 foi José Rocha, deputado do PR. As doações foram legais.

Mas a maior preocupação do governo seria que as revelações do dono da UTC implicassem as contas eleitorais da presidente Dilma, que foram comandadas pelo tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.
Fonte; Facebook do jornalista José Nilton Calazans

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, mas lembre-se que este blog é acessado por famílias, mulheres, e pessoas de bem.