LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE

LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNETE
LIGMAX O SEU PROVEDOR DE INTERNET, DE IBICARAÍ PARA O MUNDO - AVENIDA SÃO VICENTE DE PAULA

CONHEÇA NOSSO SITE E OS NOSSOS SERVIÇOS AGORA, CLICK NA IMAGEM E VEJA.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

ESTÁ EM CASA, PENSOU EM PIZZA, LEMBROU PIZZARIA PRIMEIRA¨OPÇÃO.

VISITE A MULTESCRITA SOLUÇÕES EM CONTABILIDADE RUA 2 JULHO Nº 35 - 1º ANDAR

15 de setembro de 2014

A evolução da educação de Ibicaraí nos últimos anos.


Parece difícil acreditar que o nível da educação melhorou em Ibicaraí nos últimos anos, porém mais de um indicador mostra que houve sim evolução.
Em 2013, quando a ONU divulgou o relatório do Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios brasileiros, o IDHM, a notável evolução de Ibicaraí veio sobretudo da área da educação. Na região, o IDHM de Ibicaraí só foi menor que o de Itabuna e o de Ilhéus. E IDHM específico da educação Ibicaraí deu um baile em Itabuna.
Quando se analisa o desenvolvimento da educação em Ibicaraí em comparação com o restante do Brasil, houve evolução acima da média mas o município continua precisando ainda melhorar muito. O que chama a atenção é que Ibicaraí tenha evoluído enquanto a realidade da Bahia só piora.
O desenvolvimento da educação em Ibicaraí, que agora se reflete nas notas de português e matemática do Ideb, começou com a inclusão escolar. Valeu a pena atrair e manter na escola, mesmo com baixa qualidade e sem repetência, tantos jovens ibicaraienses. Abaixo, os indicadores escolares que melhoraram em Ibicaraí entre os anos 2000 e 2010 segundo o relatório da ONU, com base em informações dos censos demográficos.
Melhorou:
- o subíndice de frequência escolar da população jovem - IDHM Educação
- o percentual de alunos de 12 a 14 anos nos anos finais do fundamental ou com fundamental completo
- o percentual da população de 11 a 13 anos de idade frequentando os anos finais do fundamental ou que já concluiu o fundamental
- a taxa de atendimento escolar da população de 6 anos de idade
- o percentual de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos na escola
- a taxa de frequência líquida ao ensino fundamental
- o percentual de 6 a 17 anos no básico sem atraso
- a expectativa de anos de estudo aos 18 anos de idade

- queda do percentual de crianças de 4 a 14 fora da escola

Fonte; Facebook do jornalista José Nilton Calazans.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, mas lembre-se que este blog é acessado por famílias, mulheres, e pessoas de bem.